fbpx

Bens do “Faraó dos Bitcoins” vão ressarcir vítimas da GAS, determina Justiça

Clientes lesados pela GAS Consultoria Bitcoin, de Glaidson Acácio dos Santos, o “Faraó dos Bitcoins”, serão reembolsados com os bens da empresa, de Glaidson e de sua esposa e comparsa Mirelis Yoseline Diaz Zerpa.

Foi o que decidiu a juíza Maria Cristina de Brito Lima, da 2ª Vara Empresarial da Capital. A magistrada determinou o bloqueio após pedido de uma associação ligada à defesa do consumidor que processa a empresa.

Golpe da GAS Consultoria Bitcoin

A GAS Consultoria Bitcoin era um esquema de pirâmide financeira disfarçada de consultoria de investimentos em criptomoedas.

Com sede em Cabo Frio (RJ), a empresa prometia altos rendimentos de 10% ao mês sobre supostas aplicações em Bitcoin. Com a GAS, Glaidson e Mirelis, que está foragida, teriam movimentado R$ 38 bilhões.

Em agosto do ano passado, a Polícia Federal deflagrou a Operação Kryptos que culminou na prisão de Glaidson. Em seguida, a empresa interrompeu os pagamentos mensais prometidos aos investidores. Dessa forma, muitos foram à Justiça tentar reaver seu dinheiro.

E foi justamente o caso dos clientes da Associação Nacional Centro da Cidadania em Defesa do Consumidor e Trabalhador (Acecont).

Na ação, a associação pediu à Justiça que a empresa reembolse os ex-clientes em R$ 17 bilhões. E o tribunal acatou o pedido:

“Concedo a tutela de urgência requerida, para determinar o arresto dos bens apreendidos no âmbito criminal, bem como o arresto online de toda e qualquer conta dos réus, medida esta última que será efetuada pelo gabinete do juízo, até o limite do valor dado à causa, ou seja, até o suficiente para o pagamento do capital investido pelos associados lesados da autora”, determinou a juíza.

Dívida supera patrimônio arrecadado

O G1 teve acesso ao documento que mostrou que, além do depósito milionário, os autores da ação também pediram que a advogada Mônica Lemos – que defende Mirelis – seja responsabilizada no processo.

Isso porque Lemos afirmou aos ex-clientes que a GAS tinha dinheiro para quitar as dívidas.

Contudo, segundo a advogada Renata Mansur, uma das autoras da ação, os valores bloqueados até agora não cobrem os prejuízos.

“O movimento agora é para que a empresa tenha um meio de pagar os clientes, depositando os valores na 2ª Vara Empresarial”, explicou a advogada.

Na decisão, a juíza também mencionou que os valores devidos superam o patrimônio arrecadado:

“Realmente, há indícios de irregularidade na atividade da parte ré, que está na posse do capital investido pelos contratantes. O parecer da Procuradoria da República foi no sentido de realizar a verificação e habilitação de créditos, conforme previsto nos artigos 7° e seguintes da Lei 11.101/05, o que indica que o crédito dos lesados é superior ao patrimônio arrecadado”, escreveu Maria Cristina de Brito Lima.

De acordo com os autores da ação, Lemos cometeu “crime contra as relações de consumo” e um suposto crime de favorecimento.

Os autores dizem que ela e seu marido, Samuel Lemos, eram sócios de um dos alvos da Operação Kryptos, Vicente Gadelha, em uma empresa ligada à GAS.

Ainda com dúvidas? Fale com um especialista diretamente pelo whatsapp:

Compartilhe:

Últimos Artigos:

AutiBank: em disputa por clientes, empresa suspeita de pirâmide chegou a igualar promessa de lucro do 'faraó dos bitcoins'

AutiBank: em disputa por clientes, empresa suspeita de pirâmide chegou a igualar promessa de lucro do 'faraó dos bitcoins'

Segundo consultores, grupo comandado pelo niteroiense Yuri Medeiros Correa perdeu investidores para a GAS Consultoria, de Glaidson Acácio dos Santos…
Bens do “Faraó dos Bitcoins” vão ressarcir vítimas da GAS, determina Justiça

Bens do “Faraó dos Bitcoins” vão ressarcir vítimas da GAS, determina Justiça

Clientes lesados pela GAS Consultoria Bitcoin, de Glaidson Acácio dos Santos, o “Faraó dos Bitcoins”, serão reembolsados com os bens…
GAS Consultoria: Justiça do Paraná pede bloqueio de R$ 7,2 milhões em sete corretoras estrangeiras

GAS Consultoria: Justiça do Paraná pede bloqueio de R$ 7,2 milhões em sete corretoras estrangeiras

Binance também foi acionada como empresa estrangeira em pedido de liquidação A Justiça do Paraná ordenou na semana passada o…
Categorias
Olá, como podemos ajudar?